Revistas:




Em Família: Pai de Virgílio terá Mal de Parkinson

Publicado por Letícia Maciel Fernandes em 13/02/2014 às 21h00

Ator Paulo José vai mostrar o drama e os cuidados necessários quem uma vítima de mal de Parkinson na novela Em Família

Texto: Letícia Maciel/ Foto: Reprodução 

Paulo José faz sessões de fisioterapia duas vezes ao dia,fonoaudiologia, aulas de voz três vezes por semana, toca piano como forma de exercitar as mãos

Foto: Reprodução 

 

O ator Paulo José de 76 anos viverá o pai de Virgílio, Benjamin, na novela “Em Família”. O ator que aparecerá na terceira fase da novela e terá Mal de Parkinson, doença com que Paulo José convive há mais de 20 anos. 

Mas o que é Parkinson? 

É uma doença degenerativa crônica e progressiva que atinge o sistema nervoso, resultando na morte dos neurônios localizados na substância negra do tronco cerebral. O nome da patologia remete a James Parkinson, médico britânico que teria sido o primeiro a descrever os sintomas detalhadamente. A causa do problema ainda é desconhecida, mas sabe-se que algumas famílias tendem a apresentá-lo.Os sinais variam, e os mais comuns são a rigidez muscular, os tremores nos membros (evidente em situações de repouso), a lentidão de movimentos (bradicinesia) e a perda do reflexo postural, o que aumenta consideravelmente o risco de queda.

Segundo informou em recentes entrevistas, para tratar e controlar a doença, Paulo José faz sessões de fisioterapia duas vezes ao dia, fonoaudiologia, aulas de voz três vezes por semana, toca piano como forma de exercitar as mãos, além de terapia corporal. E ainda conta que toma muitos remédios, pelo menos cinco vezes ao dia. Paulo José diz que dentre os sintomas da doença, o cansaço o deixa com uma voz fraca e que para isso faz exercícios todos os dias. 

A descoberta para a causa do Mal de Parkinson ainda está em fase de pesquisa, por isso o Dr. Rodrigo Peres, fisioterapeuta neurológico da Central da Fisioterapia destaca a importância de um acompanhamento médico, “tratamentos através de medicamentos específicos, fisioterapia e fonoaudiologia, impedem que a doença evolua. O papel da fisioterapia é proporcionar ao paciente uma melhora física, a partir do objetivo de restaurar e manter as funções e incentivar a realização das atividades diárias com mais independência e qualidade de vida.”, conclui o fisioterapeuta.

Além do profissional fisioterapeuta, que deverá estar presente por toda a vida do Parkinsoniano, é muito importante a participação da família no tratamento, assim o paciente vai se sentir mais estimulado e com mais vontade de realizar os exercícios necessários.  

Leia Também
Benefícios da água de coco para saúde
3 Dicas para controlar a ansiedade
12 dicas para prevenir o mau hálito
Comente!


Mais Lidas